domingo, 30 de dezembro de 2007

Papoilinha

Pequenina

Serás sempre minha,

Fruto meu ....que em mim cresceu

Rebelde

És no trato minha imagem

Da infância que fica lá longe

No tempo dos sonhos

Doce

Carinho no olhar...meiguice no cuidar

e na palavra "ma" de me chamar.

Companheira

Confidente e amiga na tua inocência de criança

Sem por vezes perceberes a profundidade das questões.

Filha

Contigo nunca estarei sozinha...

Eterna será esta nossa união.

BF

imagem retirada da net

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Um passo mais...


Eu convenci-me que tu gostavas de mim.

Li nos teus olhos ternuras,

Nos teus lábios palavras de carinho,

Nas frases circunstanciais…

Importância minha.

Eu convenci-me do teu amor.

Projectei o meu amar em ti

E,


Aguardei pelo retorno
Que não tive.
Deste-me amizade,
Saciamos desejos,
Possuímo-nos sem nos termos de verdade.
Eu convenci-me de ti.
De que eras único
Superior…
Convenci-me de que nunca
Serias um dos meus fantasmas.
Estavas por demais vivo dentro de mim…
No entanto era só mesmo eu
Que me tinha convencido
De que tu e eu seríamos um nós.
Pleno de ser.

BF

Foto de minha autoria 

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Contrariar o Tempo

Porque mesmo estando um dia feio e chuvoso lá fora... dentro de mim sinto-me assim:

Um sol radioso
inunda a minha alma
um olhar para a natureza
um tão esperado
momento de calma
sentir uma harmonia
em volta ... com o exterior
e cá dentro
o Sol
secando o orvalho
desabrochando uma flor.
BF

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Hoje dia 17 Solidariedade com a Flávia



Cópia do texto a mãe da Flávia do Blog - Flávia vivendo como



Este blog existe, porque minha filha Flavia, que em poucos dias completará 20 anos de idade, está em coma vigil há quase 10 anos desde que um acidente com RALO DE PISCINA lhe interrompeu a infância saudável. Este blog existe porque o acidente acontecido com Flavia já havia acontecido com outras crianças e continuou a acontecer, no Brasil, em Portugal, nos Estados Unidos, Na França, na Rússia...E este blog existe porque apesar da ação devastadora dos acidentes causados por ralos de piscina, locais e empresas responsáveis pela venda, instalação e manutenção desses ralos que compõem os sistemas de sucção de piscinas, continuam indiferentes à sorte das vítimas, continuam na impunidade, mesmo muitos anos depois da ocorrência das tragédias.É preciso urgência na fiscalização da venda, instalação e manutenção dos sistemas de sucção de piscinas. É preciso punição exemplar para quem cometeu ou venha a cometer negligências com a segurança dos sistemas de sucção de piscinas. É preciso cobrar agilidade da justiça na proteção das vítimas.Como eu disse no post anterior, sozinhos fica difícil, mas juntos, somos poderosos. Por isso, peço a adesão de vocês na blogagem coletiva que estará acontecendo no próximo dia 17 de Dezembro, para aumentar a visibilidade da história de Flavia que é apenas um exemplo, não só no Brasil mas no mundo, da negligência, da impunidade e do desrespeito aos direitos humanos de todos nós.
EM TEMPO: A empresa fabricante do ralo de piscina que causou o acidente que deixou Flavia em coma irreversível e que até hoje não foi condenada pela justiça brasileira a indenizar Flavia, conforme venho mencionando em posts anteriores, é a
JACUZZI DO BRASIL
FLAVIA,VIVENDO EM COMA

Muito obrigada.
Odele Souza

sábado, 8 de dezembro de 2007

Momentos meus





Tenho a vida tão cheia de nada
Neste premente viver….
Sinto um vazio repleto de ti,
Da ausência que ficou.
Vivi um amor projectado
Pelo meu muito querer…
Descobri a dor de nada ser.
Nestas veredas te buscava,
Te ansiava, te encontrava
Te fazia meu
E,
Te perdia…
Porque no correr da vida
Me fugias!
E eu,
Fugia dos teus passos…
Com passos pequenos
Pois queria ser alcançada!
Me escondia…
Depois espreitava,
Desejando ser por ti descoberta.
Viver mais um dia, um minuto…
Sei lá… Uma vida inteira
Desta história de ti, de mim…
Que só em mim existia.

BF

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Soneto da Lua

Por que tens, por que tens olhos escuros
E mãos lânguidas, loucas, e sem fim
Quem és, quem és tu, não eu, e estás em mim
Impuro, como o bem que está nos puros?

Que paixão fez-te os lábios tão maduros
Num rosto como o teu criança assim
Quem te criou tão boa para o ruim
E tão fatal para os meus versos duros?

Fugaz, com que direito tens-me presa
A alma, que por ti soluça nua
E não és Tatiana e nem Teresa:

E és tão pouco a mulher que anda na rua
Vagabunda, patética e indefesa
Ó minha branca e pequenina lua!

Vinicius de Moraes

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Pausa

Este Campo encontra-se, pela minha parte, em PAUSA,


.......na Esperança de que novas sementes floresçam.


Vou continuar a visitar-vos dentro das minhas possibilidades.

Gosto de vos ler.

Beijos floridos


BF

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Amo-te

Amo-te nas ondas
Da paixão que invento
Nos sonhos perdidos
Que acordada intento
Amo-te no calor do desejo
Que em ti apago
Nos braços vazios
Com que me afago
Amo-te ausente de mim
Num outro aconchegar
Em corpos perdidos
Num outro lugar
Amo-te porque sim…
Perdida em ti
Desejando que um dia
Te encontres em mim.

BF

sábado, 10 de novembro de 2007

Amor erótico

Escalo tuas saliências,
penetro em tuas reentrâncias...
tenho paciência,
e não vejo distancia...
Quero teu prazer,
o meu também queres ver..
Por amor gozamos,
pelo gozo nos amamos...
Quero amar-te, simplesmente...
Quero penetrar-te totalmente...
Quero beijar-te inteiramente...
Quero que me beijes completamente,
extraindo meu suco, freneticamente...
Assim é o amor, quente, sexual...
Entregamo-nos a este prazer sensual...
Uma doce loucura,
vivida num misto de louca ternura...

Marcial Salaverry

Fala-me de amor

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Quanto de ti, amor

Porque gosto muito deste poema de Jorge de Sena
Porque não me apetece falar de mim...
______
Quanto de ti, amor, me possuiu no abraço
em que de penetrar-te me senti perdido
no ter-te para sempre
______
Quanto de ter-te me possui em tudo
o que eu deseje ou veja não pensando em ti
no abraço a que me entrego
______
Quanto de entrega é como um rosto aberto,
sem olhos e sem boca, só expressão dorida
de quem é como a morte
______
Quanto de morte recebi de ti,
na pura perda de possuir-te em vão
de amor que nos traiu
______
Quanta traição existe em possuir-se a gente
sem conhecer que o corpo não conhece
mais que o sentir-se noutro
______
Quanto sentir-te e me sentires não foi
senão o encontro eterno que nenhuma imagem
jamais separará
______
Quanto de separados viveremos noutros
esse momento que nos mata para
quem não nos seja e só
______
Quanto de solidão é este estar-se em tudo
como na ausência indestrutível que
nos faz ser um no outro
______
Quanto de ser-se ou se não ser o outro
é para sempre a única certeza
que nos confina em vida
______
Quanto de vida consumimos pura
no horror e na miséria de, possuindo, sermos
a terra que outros pisam
______
Oh meu amor, de ti, por ti, e para ti,
recebo gratamente como se recebe
não a morte ou a vida, mas a descoberta
de nada haver onde um de nós não esteja
______
Jorge de Sena

domingo, 4 de novembro de 2007

Solidariedade com trabalhadores



Acabaram de me fazer chegar por mail este link de um Blog Lisboa em Alerta recentemente criado sobre a situação dos trabalhadores, mesmo que a recibos verdes, da Câmara Municipal de Lisboa. Como não concordo com a instabilidade nem com a actual política de recursos humanos que por lá se praticada, deixo aqui este alerta... peço que passem por lá e que divulguem.


Reproduzo aqui um pouco do texto:
que retirei do Lisboa em Alerta


"...Consta que o terror que se vive nas instalações municipais desde que soou o alarde dos despedimentos também afectou alguns avençados com amigos influentes. Como a estes despedir é coisa que não se faz, consta que o dirigente municipal sugeriu uma redução no vencimento de modo a minimizar a situação desagradável que vai pairando pela grande casa que é a CML.


O caso em questão remete para uma avençada com uns dois ou três anos de vencimento na ordem dos 2 500 euros para fazer um trabalho que poucos entendem qual é. Perante não o despedimento mas sim a redução do vencimento, a senhora em questão fez soar o seu desacordo e impetuosa avançou para o dirigente sugerindo: “Mandem quem tiverem de mandar embora mas nem pensem que me reduzem o ordenado”.Sob o olhar surpreso de quem presenciava tal cena, a avençada continuou batendo na mesma tecla enquanto o dirigente sem reacção não sabia muito bem o que fazer. Sem pejo, a douta avençada fez saber que ia falar com os “amigos”...."

Passem por lá e divulguem.

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Mensagem



Numa garrafa à deriva
Esta mensagem perdida
Esta pena com que escrevo
As emoções desta vida

Em ilusões transmutadas
Nas cinzas soltas ao vento
Almejando novos sorrisos
Em lágrimas de esquecimento

Interpretando as mensagens
Enviadas pelo coração
Tentando ler nas estrelas
Ou nas linhas da minha mão

Que a ilusão já acabou
Que os sonhos já são passado
E que os amores perdidos
Jamais serão retomados

BF

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Maus momentos


Há momentos maus
Momentos de ansiedade
Em que a vida parece correr
Muitos metros à tua frente
Com passos acelerados
E tu sem conseguires
Que as tuas pernas se movam
Que os teus pensamentos acalmem
Que o teu coração serene…
Lançar a corda e agarrar a vida.

BF

terça-feira, 23 de outubro de 2007

domingo, 21 de outubro de 2007

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Nesta viagem a mim


Caminho de encontro ao ontem,
Na esperança do amanhã que não chega.
Encontro memórias perdidas
Nos luares solitários da noite.
Teimosamente vou prosseguindo,
Mesmo, sabendo que o ontem
Não retornará mais...
Já passou.
Ficará sempre nas brumas do passado.
O amanhã poderá ser uma quimera,
Vivida na esperança do hoje.
Solitário viver...
Este percurso íngreme de emoções!
Ora vazia de sentires...
Ora cheia de quereres.
O ocaso dos beijos bebidos
Nas palavras beijadas,
Peitos abertos pela espada
Dos sonhos perdidos.
Ansiando pelo bálsamo
Do amor... vivido
No ontem

e...
Perdido.


BF

domingo, 14 de outubro de 2007

Paginas de um Livro

Como é difícil virar a página. A página que encerra o cerne da história.
Virar a página e recomeçar num novo capítulo, numa nova etapa.
Por vezes ressuscitamos personagens que tinham ficado lá atrás esquecidas, no preâmbulo. Ou então, temos verdadeiras surpresas ao depararmo-nos com personagens novas, motivadoras, que poderão mudar completamente o rumo da história. Mesmo que ao fim de alguns parágrafos constatemos que não passaram de meros figurantes na trama, cordelinhos puxados pela mente rebelde do escritor. Valeram pela momentânea alegria do início do capítulo.
Tantas vezes tentamos ao longo da história da nossa vida virar páginas. Umas vezes conseguimos… Outras, como que por força invisível, teimam em permanecer abertas. Como que convidando a uma segunda leitura, a uma nova interpretação.
Nessas segundas leituras depreendemos sentidos que as palavras não tinham. Vislumbramos adjectivos e advérbios de lugar que tentamos sobrepor à escrita original.
A página que teimamos em não virar está presa nas palavras que o coração teima em querer escrever.
E, nesta dualidade de quereres, deixamos tantas vezes paginas abertas….da vida que nunca conseguimos virar.

BF



imagem retirada de imagens google

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Esperei demais



Esperei demais
Cansei de esperar aqui
Nova mudança quero apreender...
Não mais ver as horas passar
Os anos passarem
A vida a passar
Esperei demais
De ti homem normal
Te elevei no pedestal máximo
Te tirei a condição humana
Te fiz Deus
E homem és…apenas
Te amei demais
Já não te busco a presença
Já te olho sem te ver
Já te falo sem tremer…
Vai passar.

BF

imagens de minha autoria

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Veredas de Ilusão



No dia a dia, neste corre-corre
Nesta azafama da vida
Encontras palavras nos olhos
Com que cruzas sorrisos

E nos sorrisos trocados
Vislumbras marcas de vidas
Repletas de sonhos criados
Numa espiral de sentidos

No afastar dos olhares
Endereçando-os para o chão
Pisados sonhos ficaram
Nas veredas da ilusão.

BF

imagem retirada de imagens google

sábado, 6 de outubro de 2007

Pink Floyd - High Hopes

Sempre

Fazem parte de mim

Do meu sentir

Dos meus momentos

Até dos momentos menos bons...

Quando me sinto perdida

Na sua música consigo-me voltar a encontrar

Serão SEMPRE parte de MIM!

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Fui... amar

Se um dia me disseres
Que o amor foste Tu,
Não vou acreditar.
O Amor fui Eu!
Fui-o nas palavras ditas,
Com as quais gritei o meu sentir.
Fui-o nas lágrimas choradas,
Nos silêncios ditados pelas
Ausências premeditadas.
Amar fui, enquanto, na cama vazia,
Amava teu corpo colado ao meu.
Enquanto tecia jogos de sedução
Na loucura de meu muito te querer.
Fui Amar!
Amar de corpo inteiro
E, com alma, dolente na espera
Da tua plena entrega que não vinha…
Fui-o, criança ingénua, no contentamento
Eufórico, pelos teus fugazes momentos
A mim despendidos
Fui… sim fui
Amar
Como nunca saberás
Que fui… Amar.

BF
imagem retirada da net

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Beija-me



Imagem retirada da net

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Nesta Passagem....

Quando passei por ti nesta caminhada da vida
Encontrei num olhar, num sorriso aberto
O carinho almejado durante uma existência

Quando passei por ti no percurso da jornada
Encontrei o amigo, sereno companheiro
De peito aberto para esvaziar solidões

Quando passei por ti na voluptuosa dança de nós
Encontrei o amante, sábio mestre
Na plena realização de sentires na torrente de desejos

Quando passei por ti no anoitecer da ilusão
Encontrei os sonhos desfeitos, rasgados no chão
Sem que nenhum de nós os tentasse reerguer

Quando passei por ti no reviver dos momentos
Encontrei-me a passar por ti, sem que marca
Alguma te infligisse nesta minha passagem

BF

domingo, 23 de setembro de 2007

Aparente sentir



Invoquei o teu nome
Tive silêncio na resposta
Desvendei os olhos
Não te consegui vislumbrar
Já não estavas lá...
A procura recomeçara
Em espaços que se alienam sonhos
Se perscrutam ilusões...

Sem nunca agarrar o real amar
Crês sentires amares
Nos nomes que trocas
Das camas amassadas de nada
E vais na angustia vazia de ti

Viver o muito ... no viver nada!


BF

imagem retirada da net

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Significâncias(IN) Lisboa











Porque estou numa fase que não me apetece escrever.....

terça-feira, 18 de setembro de 2007

Levar uma linha a passear...

Dedicado a um sonhador
Alguém que consegue “levar uma linha a passear”…
Alguém que não se importaria de voltar a ser criança
…rebolar numa seara de trigo
E … depois fugir a sete pés do dono da mesma!!!

A ti Desenhador de Sonhos


_________________________________________________




Nas asas de uma andorinha que parte
Na brisa do vento que arrepia
No brilho do raio de sol que aquece a pele
Vai…na rota do teu sonho

Nas palavras que em silencio ouves
Nos braços que ilusoriamente te acolhem
Nas memórias dos beijos trocados
Vai …na rota do teu sonho

Nos traços simétricos da vida
Na folha em que desenhas sentires
Nos momentos em que trocas sorrisos
Vai …na rota dos teus sonhos

E no mapa traçado por ti
Com a tinta do teu querer
Realiza o sonho de seres tu,
Na rota de ti! Vive o Sonho.

BF

Imagem retirada da net

domingo, 16 de setembro de 2007

Eléctricos



Eléctricos de uma outra Lisboa...

Mais Romântica... e menos poluída.

A minha Papoilinha a viajar no tempo

Agora quis ser passageira


Como vêem ...

O Terreiro do Paço aos Domingos é das Pessoas

Será que serve de consolo?!


Só faltou andar de cavalo e,

ter o "indescritível" prazer de entrar num Tanque de Guerra

A Mim

Não me serve de consolo...

O Terreiro do Paço aos Domingos ser das Pessoas.


BF

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Na noite


Te penetro noite
Com os olhos do firmamento
Negrume da alma em mim
Sombras do dia que passou
Marcas …Angústias… sorrisos
Estranhos amares na alma pesada,
Coração aflito
Em demandas infindas dos sonhos
Rasgo emoções
Abalroo sentimentos
No desejo do perfeito querer
Na alma pura
Que me atrai
Ávida de ter
Singelo amar

BF
imagem retirada da net

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

A Tua Deixa...


Pelos sonhos viajo
Invento diálogos
Realizo a cena da vida que anseio.
Sempre idealizei cenas de uma vida
Que não vivi…
Escolhi os cenários,
Ensaiei os textos,
Rodeei-me dos melhores actores
E, esperei a deixa.
Palavra certa a ser proclamada por ti!
Como actor principal,
Neste cenário, por mim, idealizado
És luz que enche o palco
És resposta neste meu monologo…
Te sinto assim.
E na hora de eu actuar já não estás em cena.
Não recebes os aplausos…
Já recolheste ao camarim.

BF
foto retirada de imagens google

sábado, 8 de setembro de 2007

Para ti...

Não vislumbro no negrume da estrada aquilo que sou.
Caminhante,
Errante busco quimeras
Esquecendo sempre aquilo que atrás fica.
O canto, aconchego...
Sem olhar em redor
Rodopio,
Na incansável demanda de impossíveis carinhos
Esqueço-te a ti!
E tu estás lá…
Sempre ali.
Continuo errante, vazia,
Na bruma perdida
Sem que outra mão segure a minha.
Mão por ti estendida e que eu não vejo.
Parto sempre
E, tu ficas a aguardar …
Não volto a cabeça,
Não te dou um último olhar.
Quero mais…
Mais longe sempre.
Relego as rectas que me permitem uma ampla visão,
Pelo suplicio dos sinuosos atalhos, obscuros de sentires…
E, nesta permanente caminhada
Esqueço-me sempre de ti.
Que tu ficaste para trás.
E quando a ti volto...
Após ter sido ferida, pelos espinhos silvestres
Que tanto me encantam,
Volto a ti mas não te vejo…
Mas tu, igual a vereda florida me acolhes…
E um dia…
Talvez,
No meu retorno magoado
Já não estejas lá
As flores tenham murchado…

BF

foto retirada de imagens google

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Nesta Paixão...

Nas ondas da paixão navego
Como barco à deriva de mim.
Por vezes me encontro em águas calmas
Outras as tormentas persistem…
Tempestades de sentires,
Raios fortes que trespassam.
E, na enseada da vida
Espero-te, sempre, encontrar
Qual mestre, marinheiro,
Sábio guia das barcaças perdidas…
Que a si atrai …
E, em seu porto de abrigo,
Conduzida enfim me encontro.
No calmo ondular
Me aconchego a ti.

BF

Foto de João Vaz Meneses, retirada de 1000imagens.com

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Pudesse


Pudesse eu falar às estrelas
e tua luz seria a mais cintilante
do firmamento...
Pudesse eu escalar as montanhas
e, no cume mais alto,
gritar teu nome
para que todo o universo,
a ele, se curvasse em homenagem...
Nome que em meu peito
gravaste com carinhos.
Nome que continua em mim
mesmo na tua ausência.
Pudesse eu reinventar o gostar
e tu,
estarias aqui!
......
......
BF
imagem retirada de imagens google

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Uma Gaivota Voava

Soltar as Palavras

Nas palavras que passaram de um Abril já distante
Revejo os silêncios de outrora, gritos mudos de revolta
Astuta arma camuflada a um olhar mais perspicaz

Nas palavras censuradas se gritou a liberdade
Disfarçada de cantiga, em poema… no jornal
Em folhetos clandestinos, reuniões dissimuladas

E nas vidas separadas a coragem renascia
E a palavra esperança de palavras libertar
Nas goelas não ficava e mesmo sofrida combatia

Agora que as palavras voltaram a ser pequeninas
Um lápis azul diferente, mais aprumado por certo
Vai apagando as palavras castrando-as no intelecto

Vamos soltar as palavras, essas palavras de Abril
Das grades onde alguns as tentam manter trancadas
Que não viva reprimida … grita de novo a Palavra!

BF
Imagem retirada de imagens google

domingo, 2 de setembro de 2007

Perdida

Estou só neste dilema.
Não sei o caminho e,
Não encontro sinais do mapa
Traçado pela mão do destino.
Quisera seguir adiante,
Alcançar mais longe,
Passar os limites da procura...
E, sinto-me perdida nesta bruma
Que não me deixa avançar.
Perdida estou...assim!
A luz que não vem,
A mão que não me guia,
O anjo que não me acompanha.
Quero chegar ao fim...
É urgente!
BF
imagem retirada da net

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Ouve-me!


Se eu disser que te amo
Vais me ouvir?
Ou vais fechar todas as luzes
Te esconder num canto
Na esperança que as palavras não cheguem
Que o escuro lhes turve o caminho
Que se percam na imensidão
Que os ruídos sobressaiam à minha voz
E que nunca … nunca tenhas de responder?
Tu não queres que eu diga
Que te amo!

BF
imagem retirada da net

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Quando a Chuva Passar

Apelo




Nas horas ocas de quereres,
As páginas em branco do livro, em que escrevo
História de mim...
Esvoaçam
Alvos montes frios,
Em que o gelo me toca.
E, se de branca neve me cubro por fora
Cá dentro fervilha um coração
Vermelho vivo...
Que de tanto amar
Cansado está.
Porque repouso precisa,
Este coração grita
Para que com os ventos agreste,
A Rainha do gelo,
Em pingos suaves toldando
seu manto branco,
dissolva este vermelho ardente....
Repousar preciso!
BF

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Mais Eu

Gosto
da praia no final do dia
naquela hora em que o sol beija o mar
num beijo roubado
na proximidade do toque
quimérico na linha do horizonte
Gosto
De me entregar ao mar
sem sentir ninguém ao meu redor
junção plena do meu corpo
entregue no deleite de suas mãos sábias
Gosto
De sentir no silêncio
o piar estridente das gaivotas
cobrindo o areal em redor do barco
...alimento... vida
Gosto
O murmurar das ondas
queixumes ...doridas
cansadas de tantos corpos bater
em constante vai-vem embalando o mar
Gosto
Quando nesta entrega
me sinto mais eu
na fusão eterna e absoluta
de um ser que enfim
encontra o leito desejado
........................Aqui estou bem.
BF
imagem retirada da net

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Minha Estrela



Nos dias grandes de Agosto
Encontro-me contigo
Minha estrela….
Na hora esquecida do tempo,
Em que demando teu cintilante
Reflexo para meus olhos,
Que seduzes num piscar…
Imploro tua mágica luz
Para o dia seguinte.
Brincas, enovelas-te e depois,
Brilhante vais.
Seguras minha mão,
Flutuo …
E na Ursa, Constelação Maior,
Me entregas…
Danças de roda.
O olhar-me do alto
“aquela ali! Sentada de caneta na mão! Eu?!”
Sorumbática….
Peço-te que a impregnes
Com um pouco do teu brilho...
- Não gostei de mim, assim,
Lá do Alto!
Tu Estrela minha…
Envolves-me na tua luz mágica e…
Deixas-me iluminada
Pronta para ofuscar
O Amanhecer.
…………………… Estou convencida!!!

BF

domingo, 26 de agosto de 2007

Porque me apetece Lisboa...





Porque me apetece Lisboa.
Cidade minha
Nesta entrega diária.
Em que no Tejo poiso o olhar
Num movimento sincronizado com o erguer da persiana
Leito dos sonhos de quem da outra margem vem
E te dá vida…
E te deixa despida…
Quando no cansaço das horas
No leito do rio se entrega
Lavando as magoas, no ondular suave das águas,
Da partida de ti…
Porque me apetece Lisboa
Cidade minha…
Que respiro
Vivo
Miro
Amo
E de novo digo…
Porque me apetece Lisboa!

BF






fotos minhas

sábado, 25 de agosto de 2007

Serena



Sinto que saíam de mim
As vozes que ecoavam na noite
Perpetuando gritos mudos
Sonhando etapas de vida…
E eu vivi!
Vivi a etapa da minha vida
Contigo e sem ti.
Acalmei a alma…descanso
Devagar o espírito, que repousa
Em leito sereno …
Acomodei os sentires na almofada
Atrevi-me a não esperar!
Porque a espera seria sofrida
E eu quero sorrisos
Carregados de paz…
Não acomodada à vida
Mas a olhá-la com um olhar mais
Lúcido e menos quimérico...
E nesta nova etapa da vida
Serei assim
Dias de sol com música em mim!

BF

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Prémio Caneta de Ouro - Poesias "In Blog" 2007


ANDRÉ L. SOARES e RITA COSTA , organizadores do evento "PRÉMIO CANETA DE OURO - POESIAS "IN BLOG" 2007", Indicaram o meu poema “ O Banco da Tua Vida “ postado em 31.julho.2007, para ‘Concorrente Inaugural’, juntamente com mais outros 29 poemas. Este evento tem por objectivo maior de eleger, conforme o voto dos próprios ‘bloggers’, o ‘MELHOR POETA’ e o ‘MELHOR POEMA’ de 2007, postado em idioma PORTUGUÊS.

Para conhecer as regras desse evento clique
AQUI.

Agradeço ao
ANDRÉ L. SOARES e RITA COSTA a iniciativa, e também, o terem escolhido um poema meu mesmo não me considerando poeta.

Agora tenho de referenciar os 5 poemas que nos últimos tempos mais me tocaram cá dentro. Que me deixaram a pensar.
Que me preencheram a alma.
E as minhas escolhas vão para a poesia no Masculino...
Diferentes formas de escrita, por homens, que sentem a vida de forma muito forte.
De todo a poesia, a feminina, é muito mais divulgada, daí ter feito opções puramente masculinas...

5 poemas que guardo com carinho, com copy feita para que nunca os perca de vista são:

Azul Diamante
http://caminhosemsentido.blogspot.com/2007/08/azul-diamante.html Blog Além dos Sentidos

Tu e o mar…
http://avancando.blogspot.com/2007/07/tu-e-o-mar.html Blog Avançando

Submersa Paixão
http://profeciaeterna.blogspot.com/2007/08/submersa-paixo.html Blog O Profeta

Menino Pobre
http://cantigasdeamigo2.blogs.sapo.pt/3790.html Blog Cantigas de Amigo

AlmaTresloucada
http://onectardaspalavras.blogspot.com/2007/08/alma-tresloucada.html Blog O Néctar das Palavras


A todos eles agradeço por escreverem…por partilharem.
Por me deixarem, mesmo que muitas vezes em segredo, partilhar os seus pensamentos….

São livres de declinar… porque o meu gostar de os ler não depende destas iniciativas. No entanto, por achar interessante a divulgação das "boas escritas" que circulam neste mundo virtual, resolvi aderir e gostaria que também o fizessem.

BF

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Não Sou poeta



Na minha poesia eu estou.
Num estado de alma
Um desabafo
Encontro marcado a sós!
Águas turvas do rio que corre em mim…
Escorraço demónios
Afugento mágoas
Apelos de amor
Na minha poesia
Não sou poeta …Sou mulher!
Mulher magoada, sofrida,
Realizada e amada…
Ou, talvez, não!
Sou Eu
Assim
Nas palavras da minha poesia!

BF
imagen retirada da net

segunda-feira, 20 de agosto de 2007