quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Fui... amar

Se um dia me disseres
Que o amor foste Tu,
Não vou acreditar.
O Amor fui Eu!
Fui-o nas palavras ditas,
Com as quais gritei o meu sentir.
Fui-o nas lágrimas choradas,
Nos silêncios ditados pelas
Ausências premeditadas.
Amar fui, enquanto, na cama vazia,
Amava teu corpo colado ao meu.
Enquanto tecia jogos de sedução
Na loucura de meu muito te querer.
Fui Amar!
Amar de corpo inteiro
E, com alma, dolente na espera
Da tua plena entrega que não vinha…
Fui-o, criança ingénua, no contentamento
Eufórico, pelos teus fugazes momentos
A mim despendidos
Fui… sim fui
Amar
Como nunca saberás
Que fui… Amar.

BF
imagem retirada da net

18 comentários:

Joana disse...

Lindo! Lindo! Lindo! mesmo...faz-me tanto sentido tudo o que está aí escrito!

astuto disse...

Como alguém é que alguém não sabe que foste "amar"?

Cumprimentos.

SentidoS disse...

Olá Papoila Sentida!
Sinceramente, nem sei que palavras dizer, profundas são, os sentires destas letras em comoção, saberá esse alguém, a força do teu sentimento? Desejo-te um bom feriado.

Beijo Sentido

Sant'Ana disse...

Belissimo, Papoila dos Girassóis.

Papoila disse...

Sant'ana

Fico feliz com o teu retorno. Sempre acreditei que assim acontecesse e que fosse assim numa outra capa. Como não te pude dizer na tua casa a alegria por te ter de volta... digo-te aqui...

Beijinhos querida
BF

Claudia Perotti disse...

O que dizer de letrinhas tão sentidas? divinas, querida!

Bom final de semana!

Beijinhosssss

Amaral disse...

O Amor não era comunhão de duas pessoas!
O Amor desejava amar e somente se entregava...
O Amor amava de corpo e alma um vazio sem vida...
Sem a unidade no Amor, a relação desfaz-se, inevitavelmente...

Sophiamar disse...

Lindísssimo! Beijinhos.
Bom fim de semana!

Papoila disse...

Querida Papoila!
Lindíssimo!
Todo o teu amar aqui cantado neste profundo sentir... Lindo!
Beijos

Pepe Luigi disse...

Que bonita ode ao amor!

Beijinhos

Maria disse...

Como eu te percebo.....

Beijinhos

Entre linhas... disse...

Muito bonito este hino ao amor.
Bom fim de semana
Bjs Zita

antónio paiva disse...

..........

belo!

.....................

Beijo

J.G. disse...

PAPOILA (de Lisboa).

Muito bonito este poema!

PAPOILA (DE LISBOA):

Tens hoje uma recordação para ti. O "Campo em Flor" foi por mim dado como um dos vencedores dos Oscarinos 2007-08, que provavelmente nem sabes o que é.

Para teres o teu OSCARINO Vencedor na Categoria "Revelação", necessito que me envies um e-mail a fim de to enviar.

Não se trata, evidentemente de nenhuma "corrente". É um reconhecimento meu, pessoal e intransmissível. Passa pelo Sino e verás mais pormenores.

Um abraço e bom fim-de-semana.

Eärwen Tulcakelumë disse...

Como tu, escrevo o que dita o coração e assim as palavras saem belas como as que aqui li.

Agradeço o carinho deixado no meu mundo.

Pérolas incandescentes de inspiração.

Eärwen

Juliana Belo disse...

Olá!
Gostei muito do teu poema e do teu blog!

Beijos

Juliana Belo disse...

"Na fotografia, o Puppy, já fraco mas feliz, descansa em frente à lareira com o focinho escondido entre as patas dianteiras, talvez a sonhar com o mesmo que sonho todos os dias. Talvez a recordar as alegrias que ela lhe deu. Talvez a chorar a sua despedida. No dia em que tirei essa fotografia, achei que podia guardar para sempre a imagem de um cão que parecia sentir precisamente o mesmo que eu. Até dele eu sinto falta. Compreendiamo-nos mutuamente nos momentos de dor, partilhávamos sempre todas as horas de alegria. Éramos o que se podia, de longe, chamar família."

Convido-te a visitar "O Sol daquela Noite"

HR disse...

Realmente, estou espantada, agora percebo o quão avassaladora é a sua paixão pelo alentejanito!...
Beijos
HR