terça-feira, 30 de outubro de 2007

Mensagem



Numa garrafa à deriva
Esta mensagem perdida
Esta pena com que escrevo
As emoções desta vida

Em ilusões transmutadas
Nas cinzas soltas ao vento
Almejando novos sorrisos
Em lágrimas de esquecimento

Interpretando as mensagens
Enviadas pelo coração
Tentando ler nas estrelas
Ou nas linhas da minha mão

Que a ilusão já acabou
Que os sonhos já são passado
E que os amores perdidos
Jamais serão retomados

BF

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Maus momentos


Há momentos maus
Momentos de ansiedade
Em que a vida parece correr
Muitos metros à tua frente
Com passos acelerados
E tu sem conseguires
Que as tuas pernas se movam
Que os teus pensamentos acalmem
Que o teu coração serene…
Lançar a corda e agarrar a vida.

BF

terça-feira, 23 de outubro de 2007

domingo, 21 de outubro de 2007

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Nesta viagem a mim


Caminho de encontro ao ontem,
Na esperança do amanhã que não chega.
Encontro memórias perdidas
Nos luares solitários da noite.
Teimosamente vou prosseguindo,
Mesmo, sabendo que o ontem
Não retornará mais...
Já passou.
Ficará sempre nas brumas do passado.
O amanhã poderá ser uma quimera,
Vivida na esperança do hoje.
Solitário viver...
Este percurso íngreme de emoções!
Ora vazia de sentires...
Ora cheia de quereres.
O ocaso dos beijos bebidos
Nas palavras beijadas,
Peitos abertos pela espada
Dos sonhos perdidos.
Ansiando pelo bálsamo
Do amor... vivido
No ontem

e...
Perdido.


BF

domingo, 14 de outubro de 2007

Paginas de um Livro

Como é difícil virar a página. A página que encerra o cerne da história.
Virar a página e recomeçar num novo capítulo, numa nova etapa.
Por vezes ressuscitamos personagens que tinham ficado lá atrás esquecidas, no preâmbulo. Ou então, temos verdadeiras surpresas ao depararmo-nos com personagens novas, motivadoras, que poderão mudar completamente o rumo da história. Mesmo que ao fim de alguns parágrafos constatemos que não passaram de meros figurantes na trama, cordelinhos puxados pela mente rebelde do escritor. Valeram pela momentânea alegria do início do capítulo.
Tantas vezes tentamos ao longo da história da nossa vida virar páginas. Umas vezes conseguimos… Outras, como que por força invisível, teimam em permanecer abertas. Como que convidando a uma segunda leitura, a uma nova interpretação.
Nessas segundas leituras depreendemos sentidos que as palavras não tinham. Vislumbramos adjectivos e advérbios de lugar que tentamos sobrepor à escrita original.
A página que teimamos em não virar está presa nas palavras que o coração teima em querer escrever.
E, nesta dualidade de quereres, deixamos tantas vezes paginas abertas….da vida que nunca conseguimos virar.

BF



imagem retirada de imagens google

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Esperei demais



Esperei demais
Cansei de esperar aqui
Nova mudança quero apreender...
Não mais ver as horas passar
Os anos passarem
A vida a passar
Esperei demais
De ti homem normal
Te elevei no pedestal máximo
Te tirei a condição humana
Te fiz Deus
E homem és…apenas
Te amei demais
Já não te busco a presença
Já te olho sem te ver
Já te falo sem tremer…
Vai passar.

BF

imagens de minha autoria

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Veredas de Ilusão



No dia a dia, neste corre-corre
Nesta azafama da vida
Encontras palavras nos olhos
Com que cruzas sorrisos

E nos sorrisos trocados
Vislumbras marcas de vidas
Repletas de sonhos criados
Numa espiral de sentidos

No afastar dos olhares
Endereçando-os para o chão
Pisados sonhos ficaram
Nas veredas da ilusão.

BF

imagem retirada de imagens google

sábado, 6 de outubro de 2007

Pink Floyd - High Hopes

Sempre

Fazem parte de mim

Do meu sentir

Dos meus momentos

Até dos momentos menos bons...

Quando me sinto perdida

Na sua música consigo-me voltar a encontrar

Serão SEMPRE parte de MIM!

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Fui... amar

Se um dia me disseres
Que o amor foste Tu,
Não vou acreditar.
O Amor fui Eu!
Fui-o nas palavras ditas,
Com as quais gritei o meu sentir.
Fui-o nas lágrimas choradas,
Nos silêncios ditados pelas
Ausências premeditadas.
Amar fui, enquanto, na cama vazia,
Amava teu corpo colado ao meu.
Enquanto tecia jogos de sedução
Na loucura de meu muito te querer.
Fui Amar!
Amar de corpo inteiro
E, com alma, dolente na espera
Da tua plena entrega que não vinha…
Fui-o, criança ingénua, no contentamento
Eufórico, pelos teus fugazes momentos
A mim despendidos
Fui… sim fui
Amar
Como nunca saberás
Que fui… Amar.

BF
imagem retirada da net

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Beija-me



Imagem retirada da net