quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Correntes de vida



Água pura
Ou verde campo
Agreste vento
Sou
E se tu achas que
a corrente me levou
Sente agora a força com que florescem as margens
Desse
rio vivo
Transformado em leito
Pela força do muito querer...
Amanhã,
O mesmo agreste vento
Que penetrava a
alma
Refrescará as pétalas de vida
Resplandecentes,
Sementes
germinadas,
Neste campo em que quero
Continuar a sentir…
florir.

BF
Foto de minha autoria 

sábado, 2 de agosto de 2008

Rumo a Sul...



Porque o meu amor pelo Alentejo tem aumentado ao longo dos tempos…
E como alguém me dizia em jeito de repreenda há uns dias atrás:

“- Se este país é um rectângulo e tu estás a meio, porque raio é que teimas em rumar sempre para Sul?!”






Pois..............
Porque não sei responder.


Ou talvez saiba e não o queira fazer!
Até porque eu sou
mais rocha do Norte...
Inverno frio que se entranhou na pele,
ruga que fica…
passando de geração em geração,
de gente perdida,

esquecida num canto agreste do monte...


Procuro no meu rumo a sul amplitude
Do espaço e, tanto... tanto mais que não posso dizer!


Hoje respirei o ar quente do sul e senti-me em casa.


Hoje, mais uma vez, pensei muito em ti.



BF