quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Correntes de vida



Água pura
Ou verde campo
Agreste vento
Sou
E se tu achas que
a corrente me levou
Sente agora a força com que florescem as margens
Desse
rio vivo
Transformado em leito
Pela força do muito querer...
Amanhã,
O mesmo agreste vento
Que penetrava a
alma
Refrescará as pétalas de vida
Resplandecentes,
Sementes
germinadas,
Neste campo em que quero
Continuar a sentir…
florir.

BF
Foto de minha autoria 

13 comentários:

Dois Rios disse...

Uma paixão profunda como os rios, forte como as correntes e verde como os campos.

Lindo poema! Imagem deslumbrante!

Beijos,
Inês

Maria disse...

Rio vivo és!
Bonitas palavras, as tuas, Papoila...
E como falar da fotografia? Belíssima!

Um beijo, BF

Multiolhares disse...

Ainda que as flores possam murchar
A semente permanece na terra e na primavera
Voltará a florir
beijinhos

O Profeta disse...

Ai quem me dera agitar o tempo
Atirar a mágoa à voragem da noite
Arrancar as raízes ao pensamento
Sentir a paz que uma lagoa acolhe


Boa férias


Mágico beijo

Isabel-F. disse...

mas que maravilha o teu poema ...


lindo.

adorei.


beijinhos

C Valente disse...

que corrente e que vida , muito bem
saudações amigas e bom fim de semana

poetaeusou . . . disse...

*
É na flor
de agua pura
viva, segura
pétalas a abrir
odores presentes
espalham sementes
germinando amor
,
conchinhas desconexas
deixo-te
,
*

papagueno disse...

Lindo o sentir do campo.
beijos

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Papoila, maravilhosas palavras e foto, lindo sentir as tuas palavras... Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Sei que existes disse...

Excelente poema com uma imagem à altura.
Beijo grande

Isabel-F. disse...

passei por aqui ...

fica um beijinho

antónio paiva disse...

...

para que saibas; eu gostei de ler.

beijinhos.

claras manhãs disse...

Também gostei muito.
Lindo
A forças dos elementos, rio e vento, germinando uma Terra, Uma Vida