quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Nesta viagem a mim


Caminho de encontro ao ontem,
Na esperança do amanhã que não chega.
Encontro memórias perdidas
Nos luares solitários da noite.
Teimosamente vou prosseguindo,
Mesmo, sabendo que o ontem
Não retornará mais...
Já passou.
Ficará sempre nas brumas do passado.
O amanhã poderá ser uma quimera,
Vivida na esperança do hoje.
Solitário viver...
Este percurso íngreme de emoções!
Ora vazia de sentires...
Ora cheia de quereres.
O ocaso dos beijos bebidos
Nas palavras beijadas,
Peitos abertos pela espada
Dos sonhos perdidos.
Ansiando pelo bálsamo
Do amor... vivido
No ontem

e...
Perdido.


BF

19 comentários:

J.G. disse...

É evidente que não venho pôr-me aqui a fazer a exegese do poema ou a apontar este ou aquele pormenor da escrita.
Primeiro porque não sou crítico literário de profissão, e depois porque não devo fazê-lo.Assim sendo o que me resta?
Deixar beijinhos, ai gostei muito, poema fantástico, grande momento, etc...uma série de lugares comuns muito próprios de quem, na maioria dos casos, nem sequer lê o que escrevemos?
Claro que não! Não faço nem nunca farei semelhante traição e hipocrisia.

Apenas posso dizer que, no conjunto, gostei, demonstra que há leitura de poesia por trás do que escreves. E que há sensibilidade para jogar com as palavras, uma coisa que ou se tem...ou não!

E já falei demasiado., lembrando que o fiz por ser este o primeiro comentário, não correndo o risco de que alguém se possa sentir ofendido.

Um abraço.

poetaeusou . . . disse...

*
peitos abertos pela espada,
,
a espada da vida,
numa vida de procura,
do escudo protector,
,
gostei, papoila
,
ji
*

adrianeites disse...

a solução é olhar e caminhar em frente...

C Valente disse...

O amanhã chega, a quem chegar, sem pressa, no tempo certo
Saudações amigas

antónio paiva disse...

..........

Querida Amiga,

viaja sempre, ainda que às vezes os caminho sejam tortuosos

mas viaja!

............................

Beijo e noite serena

cantos redondos disse...

O que vivemos no ontem, nunca está perdido. Faz parte das nossas memórias, dos nossos cantos redondos. Se muitas das vezes nos doiem, tb é certo que muitas das vezes nos fazem sorrir, recordá-los.
Gostei deste recanto :)

Lu@r disse...

Momentos de uma vida...

Beijo sentido

Amaral disse...

Perdido, mas nunca para sempre!
O teu poema permite-me dizer que... caminhar "de encontro ao ontem" não é a melhor opção. Prefiro caminhar no presente! O ontem só me serve de referência, apenas! Caminho o presente, sabendo que este é, sempre e também, o futuro!
Cheio de emoções, umas mais coloridas que outras, mas dentro dum percurso que tem o seu destino assegurado, ainda que com os percalços que são para ultrapassar...

madrugada disse...

...onde não procurando se encontra.

Belo!...

Pepe Luigi disse...

Olá Papoila,
O grande lema é caminharmos em frente, de cabeça erguida e peito inchado. Qualquer caminho é direito desde que nosos passos sejam certos.

Beijinhos

Alexandre disse...

«Este percurso íngreme de emoções!»

Há neste poema frases lindas... nem sei qual destacaria, eligi esta mas outras poderia ter eleito! Muito bonito o poema, e muito sentido!

Muitos beijinhos!!!

Maria disse...

Amiga Papoila

Caminha antes de encontro ao amanhã......
... e de peito muito aberto....

Beijinho

madrugada disse...

Meu novo endere�o: http://antidoto1975.blogspot.com

Beijos.

Alma Nova disse...

Caminha...o amanhã chegará! Entretanto, as memórias são por vezes o bálsamo que nos fortalece na espera.

Joana disse...

Procurar pelo ontem...acho que faz parte, pare deixarmos o "ontem" no passado é preciso sentir a falta e querer voltar o tempo atrás! Lindo como sempre...adorei

Bjinhos

C Valente disse...

Boa noite
Saudações amigas

serenidade disse...

Amiga Papoila,
"nada se perde, nada se cria tudo se transforma" - é assim na física, é assim com a vida, é assim com os sentimentos. Tudo é enregia se transforma e que poderá ser materializada. O viver a viagem que falas é magnifico. É deveríamos vivê-la, sentir a dor ou a alegria do passado, aprisionar aquilo que serve de bom e nos trouxe algum ensinamento e depois.... deixar ir....viver no passado não resolverá o futuro, o sentimento de hoje de solidão. O futuro só poderá ser modificado se no hoje, agora mesmo, este segundo, alterarmos nossa forma de o encarar e assim semear sementes férteis para o amanhã.

Bom domingo, sem a ilusão da solidão, pois que por mais que não o consigamos percepcionar, estamos todos interligados por uma rede energética.

Serenos sorrisos

Sei que existes disse...

Isto é viver...
Poema lindo!
Beijo grande

Pedro Arunca disse...

"Hoje é o amanhã que ontém nos preocupava".
São as vivências do presente que fazem a nossa história.

Belas palavras as tuas.