sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Ouve-me!


Se eu disser que te amo
Vais me ouvir?
Ou vais fechar todas as luzes
Te esconder num canto
Na esperança que as palavras não cheguem
Que o escuro lhes turve o caminho
Que se percam na imensidão
Que os ruídos sobressaiam à minha voz
E que nunca … nunca tenhas de responder?
Tu não queres que eu diga
Que te amo!

BF
imagem retirada da net

8 comentários:

Késia Maximiano disse...

É uma pena que poucos saibam amar não é?
Bjos

margusta disse...

Estou de volta!
Muito obrigada pelas visitas na minha ausência!

Beijinhos e bom fim de semana!

Maria disse...

Dizem
que é difícil
aceitar
que se ama......

Beijo

astuto disse...

Ai o medo de amar... Porque é que insistimos em ser infelizes?

Cumprimentos.

gasolina disse...

Uma declaração gritada aos quatro ventos, em liberdade.
Não há "surdo" que lhe resista...

Um beijo forte, Papoila dos Girassóis

Sophiamar disse...

Mais um lindo poema de amor.
Passei para te deixar beijinhos e desejar um bom fim de semana.

J.G. disse...

O amor, a necessidade de o cantar, ou de o chorar... sempre instigou à escrita.
De poetas todos teremos um pouco ao fazer a catarse de sentimentos.

Abraço.

Alexandre disse...

Muitas vezes temos medo que nos digam que nos amam porque passa a haver uma responsabilidade muito grande que alguns de nós pensa não estar preparado para assumir. Então, joga-se com o «é um dado adquirido que te amo, não é preciso dizer»... Mas é... e nunca é demais dizê-lo... quando se sente o que se diz, já bastam os filmes e as novelas para utilizarem essa expressão em vão...

Muitos beijinhos!!!