sábado, 8 de dezembro de 2007

Momentos meus





Tenho a vida tão cheia de nada
Neste premente viver….
Sinto um vazio repleto de ti,
Da ausência que ficou.
Vivi um amor projectado
Pelo meu muito querer…
Descobri a dor de nada ser.
Nestas veredas te buscava,
Te ansiava, te encontrava
Te fazia meu
E,
Te perdia…
Porque no correr da vida
Me fugias!
E eu,
Fugia dos teus passos…
Com passos pequenos
Pois queria ser alcançada!
Me escondia…
Depois espreitava,
Desejando ser por ti descoberta.
Viver mais um dia, um minuto…
Sei lá… Uma vida inteira
Desta história de ti, de mim…
Que só em mim existia.

BF

18 comentários:

Maria disse...

As ausências, papoila, os sonhos, a vida cheia de nada... a vida cheia de tanto....
... apesar de tudo, a vida cheia de tanto...

É bom voltar a ler-te, aqui.
Beijinhos, Amiga

Amaral disse...

Partilhas connosco uma corridinha alegre, terna e muito igual a tantas em que já todos participámos...
É o correr da vida, é o brincar às escondidas, é o desejo de chegar primeiro e agarrar...
Pelo teu "muito querer" descobriste, certamente, o "muito" que és!!!
Com certeza, porque a fuga tem sempre um fim!...

astuto disse...

Desejo, paixão, histórias de amor, disso vive o ser humano.

Lindo poema.

Cumprimentos e bom fim-de-semana.

PS: tirei, por estes dias, uma foto parecida com esta.

geraldo disse...

Querida Papoila,
Creio que muitos fazem isto: "Fugia dos teus passos…
Com passos pequenos
Pois queria ser alcançada!" não é mesmo Papoila?.... A vida tem tanta graça quando expomos nossas fragilidades pela causa do amor.
Com carinho
Geraldo
http://www.geocities.com/geraldom3

C Valente disse...

"Tenho a vida t�o cheia de nada"
Pensamento positivo, pois a vida � feita de pequenos nadas , mas de coisas maravilhosas
Sauda�es amigas

Reflexos da Alma disse...

Olá Papoila ;)

Gostei muito !!!

"...Pois queria ser alcançada!
Me escondia…
Depois espreitava,
Desejando ser por ti descoberta..."

Há tanta gente que se esconde , querendo acima de tudo ser descoberta ....rituais da Vida,que apimentam , e dão côr em cada dia ...

Beijos e Abraços te deixo ;)

Claudia Perotti disse...

Não é de uma hora para outra que um sentimento gigante deixa de existir dentro de nós. A dor da ausência bate-nos por um longo tempo. Com o passar deste mesmo tempo o sentir se amaina e vamos descobrindo outros caminhos diante de nossos olhos.

E tudo, tudo, tudo vai dar certo para vc!

Beijinhossssss

C Valente disse...

Boa noite e as minhas habituais saudações

Maria Clarinda disse...

Maravilha de poema e foto. Jinhos mil

gasolina disse...

Obrigado por partilhares os "teus momentos" em palavras que até a mim me fazem doer.

Um beijo Papoila dos Girassóis

Joana disse...

revejo-me muito no que está escrito...lindo!!!! mesmo muito lindo! adorei!
Bjinhos

Isabel-F. disse...

bem lindo ...

embora se sinta a tua tristeza ...


beijinhos

MADRUGADA... disse...

A inspiração não te guarda segredo.

Belo!...

musicallis disse...

De volta e em grande estilo com uma bela Ode a um amor (in)acabado.
Lamentavelmente,vamos tendo, pela vida fora, que transpor obstáculos.
A vida vai sendo assim um percurso onde, com pequenos passos andamos lentamente na esperança de sermos alcançadas ou de passos longos com o intuito de fugir, fugir para bem longe, de quê?...do que não queremos, do que nos magoa, porque doi.

Mudando de assunto, bom regresso e bom Natal
Um beijinho muito grande

Alice Matos disse...

Lindo o teu poema... triste, mas muito belo...

"Descobri a dor de nada ser..."

Não... isso é apenas uma ilusão de quem ama mais ao outro que a si mesmo... Cura essa dor... porque tu és MUITO!!!

Beijos...

poetaeusou . . . disse...

*
Fugia dos teus passos�
Com passos pequenos,
*
mas grandes de amor,
*
xi
*

adrianeites disse...

triste mas belo!
bom fim de semana!

Mocho-Real disse...

Uns tempos depois, outras folhas estarão despontando nas árvores!
A vida renova-se, Papoila!

Um bonito e sentido poema que já tinha lido e ficado convencido que comentara.

Um abraço.