segunda-feira, 23 de julho de 2007

Esta porta aberta


...Deixei uma porta aberta


Hoje quero-te
Como te quis ontem
Com o mesmo amor
O mesmo carinho
...Esperando ver-te transpor sua ombreira

Hoje não te senti
Estavas aqui mas ausente
Nas palavras que disseste
E que quis ouvir
...Escancarada para que não tenhas de bater

Hoje na minha porta bateu a rejeição
De leve, como pluma,
Fria, gelo em copo quente
E tu estavas cá…
...Não ouvi teus passos subindo os degraus

Hoje não me estendeste a mão
Não me acarinhaste
Não me senti querida, especial
Não vieste a mim
...Estiveste hesitante na soleira

Hoje foste jarro quebrado
Hoje foste oca palavra
Hoje foste ausência em mim
Hoje sou orvalho prateado...
...Folha que chora ...

Foste!

...Eu tinha deixado a porta aberta…

BF

23 comentários:

C Valente disse...

Um poema triste, de desejo e solidão. Gostei
Saudações

papagueno disse...

infelizmente nem sempre entra alguém quando temos a porta aberta.
Adorei o poema.
Um beijinho

poetaeusou disse...

*
deixo-te
um coração aberto,
sem portas ...
*
jinos
*

Reflexos da Alma disse...

Minha Querida Papoila ;

Deixa sempre a porta aberta , pois nem sempre ele fica na soleira ....

Gostei muito deste teu poema !!!

"....Hoje foste jarro quebrado
Hoje foste oca palavra
Hoje foste ausência em mim
Hoje sou orvalho prateado...
...Folha que chora ...
Foste! ...."

Um Beijo Grande te deixo !!!

sonhadora disse...

As f�rias chegaram. Parto amanh�. Levo todos no cora�o. Os meus sonhos s� foram poss�veis porque acreditaram em mim e deixaram-me sonhar.Obrigada!
Deixo beijinhos embrulhados em abra�os

Joana disse...

adori o poema, palavras sentidas, de uma solidão triste...
os poemas são o espelho da minha alma
gostei do teu blog, com certeza que voltarei e obrigado pela tua visita ao meu cantinho estarei sempre de coração aberto!!
deixo-te aqui, uma beijokita doce

Eärwen Tulcakelumë disse...

"Hoje não me estendeste a mão
Não me acarinhaste
Não me senti querida, especial
Não vieste a mim
...Estiveste hesitante na soleira "

Venho trazida por outro espaço e vejo o teu canto com palavras tão significativas...Gostei muito e se permitires voltarei...

Pérolas incandescentes de inspiração e o convite para que vistes o meu mundo.

Eärwen

Claudia Perotti disse...

Nem sempre a história se desenrola como gostaríamos que assim fosse. Pena!

Beijinhossss

Palavras ao vento disse...

"... Eu tinha deixado a porta aberta..."

Deixa- a sempre aberta... Para que entre o ausente...

Beijos da

Maria Valadas

Eärwen Tulcakelumë disse...

Será sempre bem-vinda ao meu mundo e feliz fico em saber que encontrou nele um pouco do alento.

Venha sempre, o calor do incandescentes das palavras que saem do meu mundo, são como a energia da "eterna fênix".

Deixo-te pérolas incandescentes de força para seguires na tua caminhada.

Eärwen

Papoila disse...

Querida Papoila:
N�o feches a porta amanh� � outro dia.
Bel�ssimo o poema!
Beijos

Anónimo disse...

"Deixas-te uma porta aberta..." e nunca a deves fechar,pois nunca se sabe quem lá poderá entrar.
Eu sou um daqueles que gostaria de transpôr a "porta" do teu mundo, mas as circunstâncias da vida e o receio que tenho da tua atitude, levam-me a "deixar a porta aberta..."
Quem sabe se 1 dia as coisas não se proporcionam?!
Bjo

Amaral disse...

Porta aberta e coração aberto...
Hoje, ouviste os passos sumidos na penumbra dum dia sombrio...
Como o orvalho acontece e desaparece, também as tuas mágoas sairão pela porta que espera uma chegada ansiada...

irneh disse...

GOsto deste teu poema. Tamb�m deixo a porta aberta, mas j� n�o volta ningu�m...

Beijinhos

SentidoS disse...

Perfeito poema. A verdade, emana na pureza das tuas letras. Uma portada aberta, uma entrega verdadeira e descoberta, enevoado no olhar será aquele, que não enxerga tão sublime e humana entrega...

Adorei....
Beijo Sentido

irneh disse...

Não tenho palavras para te agradecer. Há muito tempo que ninguém me mostrava tamanha amizade, mesmo sem me conhecer.

Beijinhos

Dara Samora disse...

O importante é não fechares a porta, yes??

Kiss*Kiss*,

DARA

gasolina disse...

Muito belo.

É sempre bom deixarmos a porta aberta à vida.

Passa pelo meu campo: está lá um desafio para agarrares, se aceitares.

Deixo um beijo grande.

Pepe Luigi disse...

Papoila,
Belíssimo e muito tocante este teu maravilhoso trabalho poético.

Um beijinho
do Pepe.

Sophiamar disse...

Acabei de sair do blog da irneh e venho dizer-te isto: és linda! Linda como poucas pessoas. Continua a deixar as portas abertas.O futuro está à porta.
Deixo-te mil beijos

musicallis disse...

Poema sentido e triste mas... com uma leve esperança deixa sempre a porta entreaberta. Pela fresta espreitas quem vem e abres, escancaras mesmo se quizeres que entre. Correntes postas para quem não deves deixar entrar. Entendes???
Já estou de volta por estas bandas...
Grande beijinho com imagens refrescantes de umas quantas papoilas que teimaram em ficar no campo de que saí.

Solitude disse...

...li cada letrinha,senti a esperânça, o amor do inicio...depois a indiferença,o medo...transformaram-se em vazio...dôr...realidade...
...a lágrima marota assomou se á janela ao som das memórias...

...será sempre assim...ciclo vicioso...até chegar aquele dia em que ele com seguros passos transporá a soleira,sorrirá e tu saberás ...

...o importante é manter o coração/porta aberta ...

bigada por estes momentos!

mitro disse...

É quando deixamos a porta aberta, que custa mais a ausência de quem queríamos que entrasse!