domingo, 8 de novembro de 2009

A Saudade é um grito de Liberdade...



A Saudade é um Grito de Liberdade….


Hoje. Num percurso de autocarro que não leva mais de 5 minutos. Logo que entrei os vi. O tipo de passageiros sobre os quais aviso a minha filhota para que não se aproxime, etc, etc… do alto do meu preconceito, da minha mesquinhez. Dois homens, de idade difícil de determinar, que em pé, com a postura de direito por viverem no limbo social, dificultavam a passagem a quem queria aproximar-se da saída. As suas vozes eram sonoras, demonstrando a pouca importância que davam aos outros passageiros. Um deles recordava passagens de uma vida, que fora a sua e que agora ficava longe. As memórias vinham à tona. Entre histórias passadas com os avós em Câmara de Lobos, e considerações sobre a sua própria pessoa, chamou-me a atenção a frase que se lhe desprendeu dos lábios:
“… A Saudade é um grito de Liberdade…” “…porque recordar com saudade é o mesmo que voltar a viver, é como se estivesse lá de novo…”

A minha paragem chegou. Saí a pensar. A frase a martelar na minha cabeça. As voltas que a vida dá. Quantos gritos de liberdade nos entoam a mente sempre que passeamos pelos prados da memória, sempre que sentimos saudades!
BF

10 comentários:

Maria disse...

Pode ser um grito de liberdade, mas aperta que se farta...
(e faltou fiel...)

Beijos, Papoila

Lídia Borges disse...

Um belo olhar que aqui expõe.
Histórias em que tropeçamos e que nos fazem pensar e (re)pensar...

Um beijo

poetaeusou . . . disse...

*
nos prados da memória,
não há machado que corte
a saudade que liberta . . .
,
saudosas conchinhas, deixo,
,
*

Dois Rios disse...

Minha querida,

A saudade, por mais que nos deixe um certo vazio por coisas já vividas, ou até mesmo pela ausência de gente querida , ainda assim a saudade preenche, aquece e anuncia, sempre que se põe à postos, que temos coisas boas e importantes para lembrar. De fato ela é um "grito de liberdade", além de nos dar asas que nos possibilitam planar pelo que já foi vivido.

Beijos,
Inês

Multiolhares disse...

É uma bonita frase e cheia de significado, mas penso que por vezes pode ser um grito de liberdade, mas muitas fecha-nos numa prisão sem saída
beijinhos

Isabel-F. disse...

sem dúvida que é verdade ...

beijinhos para ti
isabel

argumentonio disse...

mas...

e mais?

:_)))

tulipa disse...

Como gosta de fotografia decidi fazer-lhe um desafio...
Espero que aceite!

Felizmente que não é só nas grandes cidades que se nota, nos últimos tempos outra dinâmica, uma outra forma de fazer cultura.
Desta vez será em ALPIARÇA, na sua Biblioteca Municipal.

Vou montar outra exposição de fotografia.
A exposição procura divulgar o que vivenciei pelos caminhos da Índia. Tendo como ponto de partida a fotografia, faço uma reflexão através do tempo sobre imagens que descrevem a solidão dos povos e o significado do seu sofrimento bem como da sua alegria envolvida pela pobreza de géneros necessários à sua sobrevivência, a par da solidariedade e esperança de uma justiça digna.

Aos poucos vou conseguindo aquilo que quero, ou seja, esta EXPOSIÇÃO está aberta aos sábados de tarde, para proporcionar às pessoas que trabalham a oportunidade de a visitar numa tarde de sábado.

Fica o convite para a inauguração no próximo sábado (amanhã), dia 21 de Novembro, pelas 14h 30m.

Conto com o apoio de todos os que me têm acompanhado ao longo deste tempo, na blogosfera.

AFRICA EM POESIA disse...

Minha amiga

O regressar a casa é felicidade.
Sentir o vosso apoio ainda melhor.
Começo a escrever devagar mas depressa vou estar a 100% tenho certeza

Para ti o meu carinho

C Valente disse...

reviver é saudade, quando o grito é de alegria e não de tristeza
saudações amigas