sábado, 2 de abril de 2011

Velejando em ti


Quando o dia finda e a noite de breu envolve a terra
Elevamos o espírito na magia do murmurar das ondas sobre as rochas.
Nesse barco, outrora vergastado pelo mar que imana os teus sentidos,
Fizeste o leito dos desejos , nos quais, noite após noite, me envolves.
Nos teus cabelos cheiro a maresia e na pele com que me cobres
Saboreio o sal que te temperou…. nesse constante navegar.
O véu do luar que nos revela é também luz que nos incendeia o corpo.
E ficamos noite fora, fogo e mar… velejando o barco ao sabor do amar.
BF

(foto minha - Cabo da Roca)

10 comentários:

Maria disse...

Não me importava de velejar assim. Até ao infinito...

Um beijo e bom domingo.

AFRICA EM POESIA disse...

vim deixar para a semana... Poesia e um beijo



a Crise
Está retratada no meu poema apenas numa vertente a família
Mas há muito mais e todos sabemos.
Eu tenho uma família unida e com valores mas...
para onde caminhamos???

É muito preocupante esta sociedade
que nos cerca..


A crise

O mundo caminha
Por ondas e ciclos...
O mundo caminha
Para a queda...

Porque a família
Não está...
Porque a família
Perde a força...

E a sociedade humana
Por diversos factores
Tem muita gente imatura...

Sem união familiar...
Sem amor...
Sem gosto pela vida...

A crise rapidamente...
Fica instalada!...

LILI LARANJO

Dois Rios disse...

Tudo belo por qui! Texto e imagem.

Velejar ao sabor do amar é a melhor de todas as viagens.

Beijo,
Inês

Anónimo disse...

“Voa Maria voa”

Vento que sopra nas asas
Colocou a Maria a voar
Vendaval não pode parar
Em Bruges há-de aterrar

Estava muito produzida
Segura com Júlia a falar
E tudo ela soube explicar
Nosso apoio é pr’a ficar

Vejam o vídeo na rede
Se não querem acreditar
Neste exemplo sem par

Voa nas asas do vento voa
E não se cansem de ajudar
Sonho assim não pode parar.


http://takeustobruges.blogs.sapo.pt/

http://sic.sapo.pt/proj_queridajulia/Scripts/videoPlayer.aspx?videoId={B0C9642E-CECC-4E34-9EBA-3647D34DABA4}

Odele Souza disse...

Textos e fotos lindíssimos Papoila.

Obrigada por manter aqui o link do blog de Flavia. Obrigada por sua visita, por sua atenção.

Deixo-te um forte e carinhoso abraço.

Multiolhares disse...

linda foto, são esses momentos mágicos que nos fazem interiorizar a vida e a magia nela contida
bjs

Lídia Borges disse...

Muito bonito este texto com sabor a mar e metáforas muito criativas.


Um beijo

O Profeta disse...

Vejam! Faço magia!
Com esta caixinha de simples cartão
Não se iludam, nem pombas ou coelhos
Não há truque...perdão!?

E então?! Que emoção
Encontrei algo aqui neste bolso esquecido e roto
Espera aí o que é isto meus senhores?!
Ah...! É uma pedra mágica que pensei ter dado em mar revolto

E vou cantar uma adivinha
Vou desenhar uma ideia minha
Vou inventar uma musica em surdina
Vou dançar sem bailarina


Mágico beijo

Edivaldo Rossetto disse...

muito legal

Sofá Amarelo disse...

Que os barcos velejem ao som do luar rumo ao cais do amar...