sábado, 30 de abril de 2011

Como As Espigas


Finalmente (embora
saibas que não há
nem fim nem princípio):
deves dizer ainda
que há uma rosa de espuma
no teu peito e que
o seu perfume
não se esgota. E que lá
também existe
uma fonte onde bebem
as flores silvestres. Mas não
humildes, como ias
chamar-lhes: altas
como as espigas
do vento, que no vento
se esquecem e que no vento
amadurecem.



Albano Martins
in Escrito a Vermelho

(foto minha)

6 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Um bom Dia da Mãe. O maior beijinhoooooo!!!

:o))))))

C Valente disse...

Feliz dia da mãe
Saudações amigas

C Valente disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lídia Borges disse...

Preciosa essa altivez das flores silvestres que amadurecem dentro do peito, seara de afectos.

Um beijo

Multiolhares disse...

Que tenhas sempre esse jardim florido no teu coração
bjs

AFRICA EM POESIA disse...

AMIGA

Foi bom ver-te neste dia tão especial .
Dia de Saudade à Mãe que partiu mas que continua no meu coração
beijos