sábado, 5 de janeiro de 2008

Esta muralha que treme...

Como me faz falta a pedra

Derrubada,

Da muralha que era…

Pedra derrubada na tua passagem

Colocando em risco toda a estrutura…

Tentando manter-me erguida,

Esta muralha, que treme,

Observa a colina da vida,

Afasta novos sentires,

Para que nada resvale

E afecte o alicerce...

De mim.

Que quero manter

Forte!

BF

Fotografia de Pedro Moreira - Retirada de Olhares.com



23 comentários:

Maria Clarinda disse...

Simplesmente maravilhoso este teu poema, menina linda!
Um jinho de calor, neste dia cinzento

Sombra do Sol disse...

Boa tarde, passando par atualizar a leitura nessa página que é elaborada com tanto zelo e carinho. Aproveito para agradecer seu apoio durante o ano que passou, e reiterar meus votos de um feliz 2008. Nossa árvore de amigos completou 5.000 visitas em curtíssimo espaço de tempo, e tudo isso devo a vocês, que formam a mola propulsora sempre incentivando e fortalecendo com seus comentários. A semente que plantamos humildemente em nosso BLOG, alimentada pela nossa determinação em superarmos a cada ano e cultivada por você, que confiou em nosso trabalho, abrilhantando a nossa página com a beleza de seus comentários, incentivando a cada novo POST; a você que recomendou a outros amigos, destacando-nos e fazendo assim conquistar limites inesperados. Estou certo de que o mérito dessa conquista devo a você, espero poder continuar contando com sua visita. Muito obrigado de coração.

Maria disse...

Excelente este poema, de uma muralha que treme mas não cai.....

Beijo, Papoila!!!

C Valente disse...

Bom ano 2008, e que tudo corra á medida do seu desejo
Saudações amigas

gasolina disse...

Não te vejo como pedra derrubada.
Até pode ter algumas fissuras, um desvio em relação ao alinhamento das outras, mas derrubada nunca.

Essa capacidade de te olhares nunca te deixará caír.

Feliz 2008 Papoila dos Girassóis.
Um beijo e muita força

Odele Souza disse...

Muito lindo este poema. E a foto também.

Um abraço.

cacharel disse...

Linda, de passagem para te desejar UM EXCELENTE 2008!
O teu poema ta lindo mas peço-te o seguinte: Essa pedra que foi derrubada, reconstroi-a logo porque tu tens muita FORÇA e não mereces começar o ano com algo derrubado, ainda que pequeno...
Desejo-te a maior sorte! Bj

Amaral disse...

O cálice da vida tem o valor eterno no seu interior.
O teu poema ergue o cálice para além da sua forma!
Esta pode tremer, mas não desmorona aquilo que sabemos ser imortal...

Mocho-Real disse...

Olha, só digo que é muito bonito o que li e que a foto escolhida se enquadra na perfeição com as palavras.

Ânimo, força, cabeça bem erguida e firme caminhar para a frente!

Um abraço.
Jorge G

Bichodeconta disse...

Delicioso, fresco e bem estruturado este espaço.. um beijinho, voltarei aqui certamente.. Deixa a porta entreaberta..bom ano..

Alexandre disse...

Há muralhas que duram séculos, até milénios! E às vezes a consistência até nem é demasiada, a maneira como se dispõem as pedras é que faz a união! Assim deveria ser na nossa vida também!

Muitos beijinhos!!!

poetaeusou . . . disse...

*
papoila,
muralha do nosso ver
,
jino em muralhas
*

Bartolomeu disse...

Olá madrinha ;)
A propósito de pedras e de muralhas de sonhos erguidos da vontade e que o tempo derrubou, a propósito da nostalgia que fica para sempre pairando nesse espaço, tu sabes Poilinha linda, que fica indestructívelmente de pé a indomável força do olhar. As histórias íntimas que as muralhas e as pedras guardam, são intransmissíveis e compõem o espólio das nossas memórias mais íntimas.
Um enorme beijo em tuas inebriantes pétalas !!!

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Papoila, lindo o poema e a foto.
Beleza nas escolhas.
Muitos beijinhos,
Fernandinha

Luisa disse...

Lindos o poema mas também a fotografia! Conjugam-se perfeitamente.

Sei que existes disse...

Há pessoas que têm esse efeito!...
Beijo grande

Sombra do Sol disse...

Olá bom dia, fim de semana dia de fazer visitinhas costumeiras. Fiquei feliz com seu comentário na minha pagina, sempre procuro com meus textos tocar ao coração, quem sabe assim não consigamos um mundo mais fraterno e irmão. Estou usando o talento que Deus me deu. Saiba que cada um de vocês possui um lugar especial no meu coração. Quando leio cada comentário, vejo que carrego em meu ser várias marcas de pessoas extremamente importantes. Pessoas que, no contato com elas, me permitiram ir dando forma ao que sou, transformando-me em alguém melhor, mais suave, mais harmônico, e você faz parte desta transformação. Tenha um lindo fim de semana com muita paz, saúde e luz. Abraços fraternos do amigo

Mocho-Real disse...

Hoje, passo e deixo o meu abraço.

irneh disse...

Olá

Lindo o teu poema. Também eu me sinto uma muralha a quem derrubaram uma pedra. Apesar de tudo, continuo a tentar manter o equilíbrio.

Beijinhos para ti e para a Papoilinha

Joaquim Amândio Santos disse...

o que é o conhecimento?

visão directa do corpo e da atitude?
prolongado caminho nem que condutor à saturação encapotada?

Vivência superficial feita de fait-divers e não de curiosa partilha sem hora nem condicionalismos marcados?

Será assim tão impossível iniciar o conhecimento na distância? julgo que não e defendo tal desiderato.


EIS A MINHA HOMENAGEM AOS BLOGGERS, ESSES INCANSÁVEIS CRIADORES DE LAÇOS!

Eärwen Tulcakelumë disse...

E forte sempre serás!
Belas palavras, cheias de sentimento...

Pérolas incandescentes de força.

Carinhosamente

Eärwen
17.01.08

Sombra do Sol disse...

Olá boa noite, essa semana meio corrida, mas estou passando para dar um oi e falar que nossa árvore de amigos está sentindo sua falta, pois sua presença é que faz prosperar belos frutos da árvore de codinome amizade, pois acredito que o nosso mundo da blogosfera é a motivação essencial em tudo o que realizamos de bom em nossas páginas. E aos que nos visitam esperam encontrar em nós uma expressão consciente de amor fraterno e amigo, um amor abrangente e incondicional que podemos permitir que flua através de nós para tudo e todos. Tenha uma excelente sexta e um fim de semana repleto de muita paz, saúde e luz. Abraços fraternos do amigo.

Mocho-Real disse...

Reli e voltei a gostar!

Um abraço e tudo de bom.