segunda-feira, 28 de maio de 2007

Sonhar-te

2 comentários:

meiavida disse...

A vida tinha a obrigação de não ser isto. Não este duro desejo que nos esvazia, não estas águas pardas de aborrecimento, não esta morte-vida de estarmos sós.
A vida tinha a obrigação de ser feita de tardes calmas a guiar o riacho do prazer para os vales dos nossos sonhos.
Podemos apaixonar-nos por palavras?

Papoila disse...

Podemos sim... e de que maneira. As palavras foram a causa da minha Paixão.